Simplicidade Diária

O Autocuidado é importante

Talvez penses que este tema já está muito batido, autocuidado para aqui, autocuidado para ali… e mesmo assim, já cuidas de ti todos os dias?

Eu era daquelas pessoas que não tinha tempo para cuidar de mim continuamente, melhor, cuidava quando me lembrava, no entanto percebi que se desejas aumentar a tua consciência e melhorar a relação com as tuas crianças, necessitas urgentemente de criares um pequeno ritual de autocuidado. Nos dias que correm, o autocuidado deixou de ser algo supérfluo para ser um momento extremamente importante.

Podes começar por poucos minutos e depois ires aumentando, pois o importantes é a consistência. Levanta-me alguns minutos antes e bebe um copo de água morna com limão, depois faz 5 minutos de respiração ativa, a tua meditação e por fim escreve algumas linhas no teu caderno diário, sobre o que vivenciaste. 

A respiração ativa, se não sabes o que é, podes pesquisar no Youtube, mas consiste em expirares com determinação, ou seja, respirações profundas fazendo movimentos com os braços, de cima para baixo, ao mesmo tempo. A meditação pode ser aquele momento de silêncio, deixando ir e vir os teus pensamentos, acrescentar um mantra, ou fazer uma meditação guiada. Quando escreves o que te veio à mente ou sentiste no corpo é sempre uma mais valia ficar registado, pois faz parte da tua auto-observação. Desta forma, vais conhecendo os teus padrões e a possibilidade de os melhorares. 

Convidava-te, se ainda não o fazes, de olhares para ti com amor. És uma pessoa preciosa e imprescindível. Não existe outra igual a ti, és única. 

Se sentires dificuldade em começar o teu ritual, envia-me uma mensagem. Vamos juntas. Um abraço de luz.

Celebrar o Aniversário em Montessori

imagens aniversario ncom montessori

Em meados de Novembro celebramos 4 anos de vida do nosso filho e fez todo o sentido fazê-lo ao ritmo Montessori… As festas tradicionais de aniversário focam-se nos presentes e na comida e é um hábito tão enraizado que acabamos por fazer sempre da mesma maneira.

Na pedagogia Montessori, a vivência é outra, a cultura está muito presente na vida das crianças, a descoberta de como o outro vive, como se comporta mesmo num país diferente do seu, tudo o que envolve o mistério do Universo, dos planetas e galáxias é transmitido de forma a gerar na criança um sentimento de confiança e solidariamente em relação aos outros pois descobre que, por mais diferentes que sejamos, todos estamos ligados neste imenso Universo. Temos de cuidar uns dos outros e não apenas daqueles que estão próximos de nós.

Neste dia a criança tem a oportunidade de, tal como a Terra leva um ano a dar a volta do Sol, de passar em memórias os anos que já viveu e festejar.

É um dia de celebração em que este ano não tivemos convidados mas houve um bolo de aniversário super saboroso e saudável feito a quatro mãos pelo filho e pelo pai.

Reunimos várias fotografias dos quatro anos do filho, uma vela que simboliza o Sol, um pequeno globo pintado por nós que simboliza a Terra e doze pequenas tiras de papel com os doze meses do ano. Sentamo-nos no chão, numa linha imaginária da circunferência, colocamos a Luz no centro, as fotografias dispostas também em circunferência e a criança deu quatro voltas, uma por cada ano já vivido tal como a Terra anda à volta do Sol.

Tivemos oportunidade de observar as suas fotografias, recordar e contar as suas histórias por palavras. É um momento muito bem passado onde há oportunidade de agradecer o Dom da Vida e dar significado a cada momento vivido ao longo destes quatro anos. A criança pode assim, em cada ano que passa, e no dia do seu aniversário fazer um pequeno balanço, lembrar histórias, recordar pessoas, fazer memória. Focar no realmente é importante, a Sua História.

Quando há possibilidade de ter a família e outros convidados, a celebração é ainda mais vivida pois todos se envolvem e acabam por conhecer e experienciar com a criança os momentos importantes da sua vida. São celebrações memoráveis! Este pode ser um momento da festa. Mais ou menos prolongado. Para o resto do tempo, há que ter criatividade, também!

Há a possibilidade de recolher alguns objetos importantes da criança e coloca-los numa caixa e ela, com as fotos, poder falar sobre eles dando-lhes vida…

Para nós tem sido uma experiência muito interessante. E à medida que a criança vai crescendo, tudo toma mais sentido!

Dispostos a experimentar?

E quando descobrimos o significado e riqueza do nosso nome…

A escolha do nome de um filho, em qualquer família, acredito que é importante.

Há pais que gostam de repetir o seu nome dando-o aos filhos. Uns gostam de nomes curtos, outros de nomes compridos! Às vezes escolhemos nomes mais tradicionais, outras vezes mais modernos ou criativos. É importante saber o significado do nome pois identifica a criança perante os outros. Príncipe da paz!

Hoje o F. descobriu que há um Sr. que toca piano e tem o mesmo nome que ele. Uau!

Não sei o que ele sentiu mas ficou tão contente! Talvez agora ouvir e bailar ao som de Frederic Chopin faça despertar novas emoções!!

Descobrir a música com simplicidade. Com emoção! Sem muitas palavras! Com movimento! Com Amor.

Bolas Montessori

Para a nossa família Montessori é muito mais do que um método, é um estilo de vida.

Há atividades montessorianas que devemos fazer com as crianças durante o dia e que não devem exceder as 3 horas diárias.

Com um bebé não é possível fazer essas atividades estruturadas mas tendo em conta a filosofia Montessori muito podemos realizar desde o primeiro dia de vida!

Hoje trago as Bolas Montessorianas. Pela pesquisa que fiz, aprendi que não foram idealizadas por Montessori mas são perfeitas para “trabalhar” com e nas mãos dos bebés.

Montessori diz que não devemos dar mais ao cérebro do que às mãos. E estas são o veículo de desenvolvimento do cérebro do bebé/ criança. Por outras palavras quem desenvolve a mão desenvolve o cérebro.

São feitas com muita delicadeza! Pano 100% algodão. Enchimento anti- alérgico. A altura ideal para serem usadas é a partir, mais ou menos, dos 4 meses quando o bebé começa a agarrar em objetivos. É depois a transferi-los de uma mão para a outra.

O F. tem agora 20 meses mas muito do seu excelente desenvolvimento deve-se a elas! Foi o primeiro objeto que teve para agarrar, isto porque lhe fiz algumas.

E de tal maneira gostamos delas que queremos encher os quartos dos bebés com Bolas Montessori!

Custo: 12,90€ sem portes de envio.

Os primeiros, os antigos, os do meio, os novos e os atuais

Pensar nos amigos …

Há pessoas que têm amigos para toda a vida! Os da creche ou da escola primária. E que depois de tantos anos têm orgulho em dizer que são amigos de infância…

Ou os amigos de liceu e mais tarde da faculdade que continuam a organizar jantaradas e festas malucas.

Há aqueles que não têm nada disto. Todos os dias podemos fazer novos amigos. Não precisamos, obrigatoriamente, de prolongar amizades. Mas dá sempre jeito cuidar delas…

Para aqueles que se casam, há os amigos antes do casamento e os que se ganham com a nova vida a dois. Estes são amigos de ambos e normalmente têm os mesmos objetivos de vida. A vida é tão corrida que se não for assim é uma perda de tempo.

Há os amigos do emprego, das aulas de fitness, da corrida, ou das aulas de música ou pintura. Os amigos da sessão de yoga ou meditação. Enfim, não sabemos viver sem amigos ou simplesmente conhecidos.

Quando vêem os filhos, acrescentamos a esta lista os seus amigos. Os amigos da aula de música ou da natação. Da escolinha. Muitas vezes estes passam a ser a prioridade quando os convites aparecem para as saídas em família.

Em tempos ouvi uma amiga queixar-se de uma outra que tinha sido mãe. Esta já não tinha tempo para os amigos…

Na altura calei-me. Não tinha nada para dizer. Não a conhecia. Mas hoje percebo as duas…

Com os filhos precisamos de aprender muitas coisas novas. Reorganizar objetivos de vida. Estar a par das novidades. Ouvir. Conhecer. Decidir. Quando estamos mais próximos daqueles que vivem momentos semelhantes aos nossos, é mais fácil viver!

Creio que todos os amigos têm o seu lugar. Umas vezes mais próximos, outras mais afastados. Há sempre a possibilidade de recorrer à tecnologia para apaziguar a saudade ou dar notícias.

Ter amigos vale o que vale. Ser amigo é uma grande responsabilidade.

Vida prática – horta em casa

Semear, regar e cuidar. Colher e comer. São 19 meses e o desejo de aprender cada vez mais.

Esta atividade deve ser preparada pelo adulto. A partir dos 3 anos já será capaz de a realizar sozinha. Antes dessa idade pode ser acompanhada por um adulto.

Observar este processo demorado é obra! A paciência que a criança demonstra ao ver crescer as sementes é fantástico. Regar apenas quando é necessário. Saber quando se pode apanhar… E finalmente comer.

Ela reage a tudo isto consoante a sua maturidade e desenvolvimento. Só adulto basta estar presente e preparar o ambiente.

Semeamos rúcula no vaso da varanda. Quando estava pronta para ser apanhada grelhamos carapaus! Delicioso!!

Vida prática – sumo de laranja

Vida prática – sumo de laranja 2

Esta é mais uma atividade que a criança se delicia com o resultado final…um suminho delicioso de laranja.

Deve ser preparada pelo adulto.

A criança poderá ter maior ou menor dificuldade, em a realizar, consoante a idade.

É de salientar que as atividades têm como um dos objetivos criar autonomia à criança, por isso é importante perceber se ela já estará pronta para a fazer.

Aqui por casa fazemo-la várias vezes. Sabemos que o F., ainda, não a faz sozinho mas fica muito contente em participar nela e beber o sumo depois de feito. Nham, nham

Escolher a fruta, corta-la com cuidado. Espremer suavemente com mão. Deitá-la para o jarro de vidro e depois para o copo.

Tantas tarefas!! Feitas ao ritmo da criança e com muita paciência. Elas aprendem rápido …

As nossas tarefas diárias

As nossas tarefas diárias 1

Todas as famílias têm tarefas diárias. Lavar a loiça, fazer a cama, varrer o chão, limpar o pó… entre muitas outras. Os filhos gostam de imitar os pais. Em tudo! E gostam tanto de limpar a casa…

Maria Montessori ensina-nos que para nós, o trabalho é o mesmo que brincar para as crianças. Claro que não o fazem da mesma forma que nós mas tenho a certeza que o fazem com muito amor dando o melhor que sabem!

Algumas tarefas:

  • Pôr a roupa na máquina.
  • Lavar a loiça.
  • Tratar das plantas.
  • Estender e apanhar a roupa.

Devemos ver isto como um processo em que desenvolvemos as relações interpessoais, a confiança, a concentração e o foco. A motricidade fina e motricidade grossa. Os 5 sentidos!

As crianças são, ainda, mais crianças! Encontram um sentido para aquilo que fazem. Fazem para serem cada vez mais perfeitas. Apenas isto!

Sonhos de pais

O sonho de qualquer mãe e pai é que o seu(s) filho(s) seja(m) bem sucedido (s).

Desde cedo os pais fazem sacrifícios pelos filhos. Sim, sacrifícios! No nosso caso sem qualquer mágoa. Com tranquilidade e esperança! Dará resultado? Claro que sim!

O que penso, muitas vezes, é que por ser uma mãe tardia muitas coisas não irei viver com o meu filho! Até lá… é fazer o melhor de nós! Educar para a paz!

Scroll to Top